top of page
Autismo01.png

O que é o Autismo?

 
 

Autismo é um distúrbio do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades na comunicação e nas interações sociais, além de repetições de comportamentos ou atividades. As pessoas com autismo podem ter dificuldades para se expressar verbalmente e para compreender as palavras ditas por outras pessoas. Muitas vezes, elas têm uma visão diferente do mundo ao seu redor e podem ficar estressadas ou confusas com mudanças nos hábitos ou nas rotinas. O autismo é um espectro, o que significa que os sintomas e a gravidade variam de pessoa para pessoa.

gráfico Autismo

Prevalência de Autismo...

 

Segundo dados do CDC (Center of Deseases Control and Prevention), órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, existe hoje 1 caso de autismo a cada 36 pessoas. Dessa forma, estima-se que o Brasil, com seus 200 milhões de habitantes, possua cerca de 5,95 milhões de autistas. A Síndrome de Rett tem incidência de 1 a cada 10.000 crianças nascidas, por essa característica a Síndrome de Rett é considerada uma doença rara.Pesquisas recentes apresentam novos dados na incidência da Síndrome de Rett, no entanto como os dados ainda são preliminares e em uma amostragem ainda pequena da população mundial. Os novos números poderão apresentar um número ainda maior de ocorrência da Síndrome de Rett na população mundial.

Obrigado(a)!

Autismo02.png

Diagnosticando Autismo...

No Brasil, o diagnóstico de autismo é geralmente realizado por profissionais de saúde especializados em saúde mental infantil, como psiquiatras, psicólogos, neuropediatras ou fonoaudiólogos.

O processo de diagnóstico do autismo geralmente envolve uma avaliação cuidadosa e sistemática das habilidades e comportamentos da criança. Isso pode incluir entrevistas com os pais ou responsáveis da criança, observação direta do comportamento da criança e a aplicação de testes e questionários padronizados.

Algumas ferramentas comuns usadas para diagnosticar o autismo incluem a Escala de Avaliação de Autismo na Infância (CARS), o Questionário de Comunicação Social (SCQ), o Teste de Triagem do Autismo no Primeiro Ano de Vida (CHAT) e a Entrevista Diagnóstica para Autismo-Revisada (ADI-R).

O diagnóstico do autismo pode ser um processo complexo e muitas vezes envolve uma equipe multidisciplinar de profissionais de saúde para avaliar a criança de forma abrangente. É importante lembrar que o diagnóstico de autismo deve ser feito por um profissional de saúde especializado e não pode ser determinado apenas por pais ou cuidadores com base em observações informais.

Autismo03.png

Características do Autismo...

O autismo é um transtorno do desenvolvimento neurológico que pode afetar a comunicação, o comportamento social e o processamento sensorial de uma pessoa. Algumas características comuns do autismo incluem:

Dificuldade na comunicação verbal e não verbal: muitas pessoas com autismo têm dificuldade em entender e expressar emoções, gestos, tom de voz e linguagem corporal.

Dificuldade em interagir socialmente: pessoas com autismo podem ter dificuldade em estabelecer e manter relacionamentos sociais, podem parecer distantes ou parecerem indiferentes à presença de outras pessoas.

Comportamentos repetitivos ou estereotipados: esses comportamentos podem incluir agitar as mãos, balançar o corpo, rolar objetos ou ter interesse intenso em um assunto específico.

Sensibilidade sensorial: pessoas com autismo podem ter uma sensibilidade aumentada ou diminuída a estímulos sensoriais, como luz, som, tato, cheiro ou gosto.

Resistência ou dificuldade com mudanças: muitas pessoas com autismo preferem a rotina e podem se sentir ansiosas ou desconfortáveis ​​quando as coisas mudam.

É importante notar que cada pessoa com autismo é única e pode exibir diferentes combinações de características, e também pode apresentar habilidades e talentos especiais.

Autismo04.png

Tratamentos disponíveis...

Existem várias terapias e abordagens que podem ser úteis para pessoas com autismo, dependendo de suas necessidades individuais. Aqui estão algumas das terapias mais comuns:

Terapia comportamental: Terapia comportamental, como Análise do Comportamento Aplicada (ABA), é uma abordagem baseada em evidências que usa técnicas de reforço positivo para ensinar habilidades sociais, de comunicação e comportamentais para pessoas com autismo. ABA é frequentemente usada com crianças pequenas, mas também pode ser útil para adolescentes e adultos.

Terapia de fala e linguagem: Muitas pessoas com autismo têm dificuldades de fala e linguagem, e a terapia de fala e linguagem pode ajudar a melhorar essas habilidades. Terapia de fala e linguagem pode incluir atividades para melhorar a comunicação verbal, bem como a utilização de sistemas de comunicação alternativa, como pranchas de comunicação ou tecnologia assistiva.

Terapia ocupacional: Terapia ocupacional pode ajudar pessoas com autismo a desenvolver habilidades práticas, como habilidades motoras finas, coordenação e independência em atividades cotidianas.

Terapia sensorial: Algumas pessoas com autismo têm sensibilidade sensorial, o que significa que podem ser hipersensíveis ou hipossensíveis a certos estímulos, como luzes brilhantes, barulhos altos ou texturas diferentes. A terapia sensorial pode ajudar a pessoa a aprender a lidar com essas sensibilidades e a se sentir mais confortável em diferentes ambientes.

Terapia cognitivo-comportamental: A terapia cognitivo-comportamental pode ajudar a pessoa com autismo a desenvolver habilidades sociais e emocionais, como a compreensão de emoções e a regulação emocional. Essa terapia pode envolver a identificação de pensamentos e comportamentos negativos e a aprendizagem de estratégias para lidar com eles de forma mais adaptativa.

É importante lembrar que a terapia mais adequada para uma pessoa com autismo pode depender de suas necessidades individuais e de suas características específicas, e é importante trabalhar com profissionais qualificados para determinar as melhores opções de tratamento.

Em Destaque!